domingo, 1 de fevereiro de 2009

Sou menina


Sou menina
Ingênua... Atrevida
Mulher liberta
Quando amada
Se sofrida, tranco-me
Desolada e acuada

Sou dócil como
Ave engaiolada
E traiçoeira
Serpente atiçada
Branda, como a
Calmaria do lago
E feroz como
Um mar bravio
Sou a chama
Inútil da vela
Que tenta em vão
Clarear o dia
E o medo
Na noite sombria
Sou a alegria
Da chegada e a
Triste despedida

Sou bondade
Se preciso for e
Maldade, se ferida
Sou o sorriso
Na face bela
E a lágrima maldita
Sou a luz do sol
E a ventania que
Chega intempestiva
Sou a dor do passado
A esperança perdida
Do meu castelo Rainha
Mas também
Serva e súdita

Sou a felicidade no
Coração que ama
E se magoada
Sou sórdida
Bandida!

Um comentário:

Um ser Indescritivel disse...

Adorei...simplesmente descreveu me aki...procurei em varios algo que parecesse comigo e achei aki..^^

Seguidores